Poliomielite

Vacine seus filhos contra a poliomielite

Poliomielite

A poliomielite é uma doença facilmente evitada por meio de uma vacinação segura e eficaz.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde, enquanto uma única criança permanecer infectada, crianças em todos os países correm o risco de contrair poliomielite, uma doença altamente contagiosa.

Os casos de poliovírus diminuíram em mais de 99% desde 1988, de cerca de 350.000 casos em mais de 125 países endêmicos, para 6 casos relatados em 2021.

No estado de Nova York, nos Estados Unidos, a agência de saúde da cidade de Rockland alertou o público, em julho deste ano, para um caso de poliomielite paralítica em um jovem adulto não vacinado.

Por outro lado, o Brasil recebeu o certificado de eliminação da pólio em 1994. No entanto, até que a doença seja erradicada no mundo (como ocorreu com a varíola), existe alto risco de importação de novos casos, abrindo a possibilidade de novo ciclo de circulação do vírus.

Na maioria dos países, o esforço global contra a poliomielite expandiu a capacidade para o combate de outras doenças infecciosas, com a construção de sistemas eficazes de vigilância e imunização.

No entanto, nos últimos anos, no Brasil observa-se uma baixa cobertura vacinal em relação à pólio, onde desde 2015, não é cumprida a meta de vacinação de 95% do público-alvo, número aceito para que se considere a população protegida.

O que é a Poliomielite?

Também chamada de pólio ou paralisia infantil, é uma doença contagiosa, aguda, causada pelo poliovírus (sorotipos 1, 2, 3) que pode infectar crianças e adultos por meio do contato direto com água, alimentos e fezes contaminadas ou com secreções eliminadas pela boca das pessoas doentes.

Muitas pessoas infectadas com esse vírus não ficam doentes nem apresentam sintomas. Todavia, aquelas que adoecem desenvolvem paralisia, o que pode ser fatal.

O poliovírus destrói as células nervosas da medula espinhal e, consequentemente, leva à perda de massa muscular e à paralisia.

Sintomas

Como foi falado anteriormente, a doença pode ser assintomática. Quando se manifestam, os sintomas variam de acordo com a gravidade da infecção.

Nas formas não paralíticas, os sinais mais típicos são febre, mal-estar, dor de cabeça, de garganta e no corpo, vômitos, diarreia, constipação, espasmos, rigidez na nuca e meningite. Na forma paralítica, quando as células dos neurônios motores são atingidas, além dos sintomas já descritos, instala-se a flacidez muscular que afeta, em regra, um dos membros inferiores.

Diagnóstico

Essa doença requer um diagnóstico médico e exames laboratoriais e/ou de imagem podem ser solicitados como de fezes para pesquisa do vírus, liquor, anticorpos IgM e eletroneuromiografia.

É indispensável estabelecer o diagnóstico diferencial para distinguir a poliomielite de outras doenças que também comprometem os neurônios motores.

Tratamento

Como em muitas doenças virais, não existe tratamento, mas alguns cuidados são essenciais para o controle das complicações, como:

  • Repouso absoluto nos primeiros dias para reduzir a taxa de paralisia;
  • Mudança frequente de posição do paciente na cama, que deve ter colchão firme e apoio para os pés e a cabeça;
  • Tratamento sintomático da dor, febre e dos problemas urinários e intestinais;
  • Atendimento hospitalar nos casos de paralisia ou de alteração respiratória;
  • Acompanhamento ortopédico e fisioterápico.

 

Importante

Esteja atento! A falta de saneamento básico e de medidas adequadas de higiene é a principal causa de transmissão do vírus da poliomielite. A má qualidade da água utilizada para consumo e alimentos preparados sem os cuidados de higiene facilitam a proliferação dos diferentes tipos de poliovírus.

Não há cura para a poliomielite, mas a doença, incluindo a paralisia, pode ser prevenida por meio de vacinação segura e eficaz. A proteção é de 99 a 100 por cento quando todas as doses recomendadas são aplicadas.

Vacinas contra a Polimielite

Existem duas vacinas disponíveis contra a poliomielite: a vacina inativada poliomielite (VIP ou Salk), que é injetável; e a vacina oral poliomielite (VOP-Sabin), a da gotinha. O Programa Nacional de Imunizações (PNI) recomenda a vacinação de crianças a partir de 2 meses até menores de 5 anos de idade.

Esquema vacinal: na rede privada são três doses injetáveis da Vacina Inativada contra Poliomielie (VIP) aos 2, 4 e 6 meses de idade e duas doses de reforço aos 15 meses e entre os 4 e 6 anos (para quem completou o esquema inicial). E ela aparece combinada com outras vacinas como a pentavalente, a hexavalente e a dTpa-VIP.

Onde posso vacinar meus filhos?

Vacine seus filhos na Genoa/LPCM. Possuímos um portfólio completo de vacinas para protegê-los. Clique aqui para saber mais.

Agende agora a vacina da pólio e outras vacinas: (11) 3135-6880 ou (11) 96318-8021.

 



 

Agendar

 

 

Exames

 

Para agendar seus exames, entre em

contato conosco na Grande São Paulo

(011) 3135-6880 ou (011) 3135-6920

 

 

Horário de Atendimento:

Todos os dias das 7h às 19h