Meningite Meningocócica

Vacine-se contra a meningite meningocócica

Meningite Meningocócica

A meningite é uma séria inflamação das membranas (as meninges) que envolvem o cérebro e a medula espinhal, geralmente causada por uma infecção viral, mas também pode ser de origem bacteriana ou fúngica.

Nessa publicação, iremos abordar mais a Meningite Meningocócica ou Doença Meningocócica Invasiva (DMI), que é causada por vários tipos de bactérias, dentre elas a Neisseria meningitidis (ou meningococo) dos sorogrupos A, B, C, W e Y que são os cinco sorogrupos responsáveis pela maior parte de casos no Brasil. E para os quais existem vacinas.

Sintomas da Meningite Meningocócica

Os sintomas de meningite bacteriana podem aparecer entre 2 e 10 dias após o contato com o agente infeccioso, no entanto é mais comum de acontecer entre 3 e 4 dias após a infecção, sendo principalmente notada febre alta e repentina, dor de cabeça forte, dor e dificuldade para movimentar o pescoço e para encostar o queixo na região peitoral.

Pessoas acometidas pela meningite meningocócica podem apresentar sintomas como:

  • febre alta e repentina;
  • dor de cabeça forte que não passa;
  • rigidez na nuca/dor e dificuldade para mover o pescoço;
  • dificuldade para encostar o queixo no peito;
  • náuseas e vômitos;
  • petéquias (pequenas manchas puntiformes, vermelhas ou violáceas pelo corpo)
  • tontura e dificuldade de concentração;
  • sensibilidade à luz e aos ruídos;
  • irritabilidade e confusão mental;
  • sonolência e cansaço;
  • falta de apetite e de sede.

A meningite provocada por vírus pode causar sintomas parecidos com a meningite bacteriana. A diferença é que a forma viral é menos grave e a mortalidade é bem mais baixa.

Isso não significa, porém, que o quadro clínico não possa ser bem rico, com dor muscular difusa, vômitos e fraqueza.

Sintomas no bebê

Em bebês com menos de 2 anos de idade, além da febre alta, os sinais e sintomas importantes incluem:

  • choro constante;
  • irritabilidade;
  • sonolência;
  • dificuldade de mamar;
  • mãos e pés frios;
  • palidez cutânea;
  • falta de ânimo;
  • falta de apetite;
  • crise convulsiva;
  • rigidez no corpo e no pescoço ou hipotonia generalizada (corpo mole, sem tônus).

Nos casos de bebês com menos de 1 ano de idade e com a moleira ainda mole, o topo da cabeça pode ficar inchado, fazendo parecer que o bebê possui um galo devido a alguma pancada. Além disso, no caso de meningite meningocócica, é possível também notar o aparecimento de manchas vermelhas na pele, convulsões e paralisia, por exemplo.

E como esses sintomas podem se desenvolver rapidamente, isso aumenta as chances de diagnóstico tardio.

Transmissão

Vale ressaltar que a meningite meningocócica é uma doença grave e contagiosa que pode levar a óbito entre 24 e 48 horas e pode atingir a todos sem distinção de idade.

A transmissão acontece de pessoa para pessoa, por meio de gotículas ou secreções respiratórias por meio do beijo, tosse ou espirros ou compartilhamento de objetos e cigarros.

Os mais vulneráveis são os bebês e crianças de até 4 anos, por possuírem o maior risco de contrair a doença. Também foi relatado um segundo pico de incidência em adolescentes de 15 a 19 anos. Portanto, estar com a vacinação em dia é a melhor forma de prevenção.

Você sabia que 1 em cada 4 adolescentes pode portar o meningococo assintomaticamente?

Sequelas

Mesmo quando a doença é diagnosticada precocemente e o tratamento adequado é iniciado, 5% a 10% dos pacientes vêm a óbito.

A Meningite Meningocócica pode resultar em sequelas como danos cerebrais, convulsões, deficiência visual e auditiva, déficit de aprendizagem, amputações de membros e amputação digital em 10% a 20% dos sobreviventes, ou seja, 1 em cada 5 casos.

Prevenção

Existem medidas preventivas que podem ser tomadas para evitar a meningite meningocócica, sendo a vacinação contra os 5 sorogrupos (ABCWY) a forma mais eficaz de prevenção contra a DMI e importante em todas as faixas etárias.

Além da imunização, recomenda-se:

  • manter bons hábitos de higiene;
  • evitar compartilhamento de objetos de uso pessoal como talheres e copos;
  • evitar aglomerações e
  • manter ambientes ventilados.
Em caso de suspeita da doença

Em caso de suspeita da doença, é necessário ir a um hospital ou unidade de saúde mais próxima para que um médico avalie e faça a confirmação do diagnóstico e, assim, iniciar o tratamento mais adequado.

Para confirmar o diagnóstico de meningite é normalmente indicada a realização da cultura do líquor, também chamado de LCR, sendo feita a partir da coleta desse líquido através de uma punção lombar. A partir da análise desse material, é possível verificar se há bactérias, vírus, parasitas ou fungos que possam estar relacionados com a inflamação da meninge.

O médico pode também indicar exames complementares como exame de sangue, de urina e de imagens, como tomografia computadorizada ou ressonância magnética.

Tratamento

O tratamento contra a meningite é feito em internamento hospitalar com o uso de medicamentos de acordo com o agente causador da doença, podendo ser indicado o uso de antibióticos, antifúngicos, antiparasitários ou antivirais.

Quais são as vacinas? Quantas doses?

A Genoa/LPCM oferece dois tipos de vacinas contra a meningite meningocócica: a ACWY e a B para a proteção dos seus filhos e a sua proteção. Saiba mais sobre esses dois tipos:

  • Meningocócica B: trata-se de uma vacina adsorvida meningocócica B (recombinante) que protege contra meningite bacteriana do tipo B, causada pela Neisseria meningitidis do grupo B e indicada para imunização ativa de crianças a partir de 2 meses a indivíduos de 50 anos de idade.

Esquema de doses: crianças, 1ª dose aos três meses, 2ª dose aos cinco meses e dose de reforço aos 12 meses. Adultos: duas doses com intervalos de 30 dias.

  • Meningocócica ACWY: é uma vacina inativada meningocócica conjugada quadrivalente que protege contra meningite A, C, W e Y, causada pela Neisseria meningitidis dos grupos A, C, W-135 e Y e indicada para imunização ativa de crianças com idade a partir de 3 meses.

Esquema de doses: crianças, 1ª dose aos três meses, 2ª dose aos cinco meses, além de doses de reforço aos 12 meses, 5 anos e 11 anos de idade. Adultos: dose única.

Agendamento

Proteja-se e proteja quem você ama! A vacinação é a forma mais efetiva de prevenção contra a Meningite Meningocócica. Portanto, vacine-se.

Agende a sua vacina agora: (11) 3135-6880 ou (11) 96318-8021.



 

Agendar

 

 

Exames

 

Para agendar seus exames, entre em

contato conosco na Grande São Paulo

(011) 3135-6880 ou (011) 3135-6920

 

 

Horário de Atendimento:

Todos os dias das 7h às 19h