Dia Mundial de Luta Contra a AIDS

Dia Mundial de Luta Contra a Aids

Dia Mundial de Luta Contra a AIDS

O Dia Mundial de Luta contra a Aids, 1° de dezembro, é um dia criado com o intuito de combater o preconceito e a desinformação que existe em torno da doença.

Falar sobre AIDS é fundamental para que as pessoas compreendam as formas de transmissão do HIV, métodos de prevenção e a importância do diagnóstico precoce para que a discriminação diminua cada vez mais.

A campanha Dezembro Vermelho

A campanha Dezembro Vermelho chama a atenção para a prevenção, assistência e proteção dos direitos das pessoas infectadas com o HIV. Inicia-se no primeiro dia do mês que é O Dia Mundial de Luta Contra a AIDS e se estende até o final do mês.

Composta por um conjunto de atividades e mobilizações para enfrentamento ao HIV/AIDS e demais ISTs (infecções sexualmente transmissíveis), a campanha segue os princípios do Sistema Único de Saúde, integrado toda a administração pública, com entidades da sociedade civil organizada e organismos internacionais.

A doença no mundo

Segundo o Unaids, programa das Nações Unidas voltado ao combate à Aids, cerca de 1,5 milhão de pessoas foram recém-infectadas pelo HIV em 2021 em todo o mundo. A estimativa é de que cerca de 38 milhões de pessoas vivam com o vírus em todo o planeta.

No Brasil, ainda de acordo com estimativas da ONU, ao longo do ano passado, 50 mil novos casos foram registrados, o que fez o país chegar à marca de 960 mil pessoas vivendo com o HIV.

HIV e AIDS

Existe uma diferença entre HIV e Aids. Atualmente, nem todo paciente com HIV chega a desenvolver a AIDS, que nada mais é do que uma das consequências do vírus, chamada Síndrome de Imunodeficiência Adquirida.

O diagnóstico de AIDS considera a baixa quantidade de células de defesa (CD4) presentes no sangue e/ou manifestações clínicas que podem incluir uma ou mais doenças oportunistas.

Sintomas

Alguns dos sintomas iniciais podem ser facilmente confundidos como dores de garganta, dores de cabeça, febre constante, dores musculares, calafrios e mal-estar.

Os sintomas podem estar presentes duas semanas após a contaminação, ou mesmo nunca se manifestarem.

Transmissão

O vírus HIV (sigla em inglês para vírus da imunodeficiência humana) é transmitido principalmente durante relações sexuais desprotegidas, mas também pelo compartilhamento de objetos como agulhas, alicates e seringas. Além disso, a mãe soropositiva, sem tratamento, pode infectar o filho durante a gravidez, parto ou amamentação.

Portanto, medidas preventivas incluem:

  • Utilizar preservativo (masculino e feminino) em todas as relações sexuais;
  • Não compartilhar objetos perfurocortantes como agulhas no caso de drogas injetáveis.

 

Tratamento

Como a AIDS não tem cura, o tratamento é realizado com medicamentos antirretrovirais (ARV) e deve ser feito por todas as pessoas que vivem com HIV, mesmo quando não apresentam sintomas.

Esses remédios geralmente são um combinado de três drogas e cada paciente decide com seu médico a melhor opção entre inibidores nucleosídeos da transcriptase reversa, inibidores não nucleosídeos da transcriptase reversa, inibidores de protease, inibidores de fusão e inibidores de integrase.

O médico infectologista indicará o mais adequado de acordo com cada caso e cada paciente.

E o mais importante é que esses medicamentos atuam no fortalecimento do sistema imunológico e evitam que o vírus se multiplique no organismo e são capazes de garantir uma vida com mais qualidade e longa para os pacientes.

A importância dos exames de rotina

Considerando que o HIV afeta o sistema imunológico, responsável pelas defesas do corpo contra infecções e doenças, o indivíduo portador do vírus se torna impossibilitado de se proteger contra essas infecções.

Os exames de rotina são fundamentais para diagnosticar a doença ainda no início, porque muitas vezes os sintomas aparecem duas semanas após a exposição ao vírus ou nem mesmo se manisfestam.

Por meio da sorologia usada no exame de sangue é possível identificar a exposição ao vírus. Caso seja positivo, outro teste é realizado para confirmação, e deve ser feito 30 dias após o contato de risco.

Além do vírus do HIV e a AIDS, boa parte das doenças graves na vida do indivíduo podem ser diagnosticadas com exames de rotina. Alterações em exames são formas do organismo demonstrar que algo não está funcionando como deveria.

Dessa maneira, é muito importante que os exames preventivos sejam realizados periodicamente, quando médicos suspeitam de algum sintoma ou quando a pessoa não se sinta bem.

Exames de sorologia

Realize os seus exames de sorologia e ISTs, além de exames de imagem e genômica conosco.

Entre em contato: (11) 3135-6880 ou (11) 96318-8021.

Atendemos diversos convênios.

Informe-se! Divulgue! Ajude a acabar com o preconceito.

01/12: Dia Mundial de Luta Contra a AIDS.



 

Agendar

 

 

Exames

 

Para agendar seus exames, entre em

contato conosco na Grande São Paulo

(011) 3135-6880 ou (011) 3135-6920

 

 

Horário de Atendimento:

Todos os dias das 7h às 19h