A Tireoide Dita o Ritmo do Nosso Organismo

A Tireoide Dita o Ritmo do Nosso Organismo

Essa pequena glândula é responsável pelo nosso humor, cansaço e por regular o nosso peso. Logo, a tireoide dita o ritmo do nosso organismo.

Em 25 de Maio se comemora o Dia Internacional da Tireoide. Essa data chama a atenção para essa pequena glândula em forma de borboleta, na base do pescoço.

A tireoide é uma glândula que regula a função de órgãos importantes como o coração, o cérebro, o fígado e os rins e responsável pela produção dos hormônios T3 (triiodotironina) e T4 (tiroxina). Dessa forma, garante o equilíbrio do organismo.

Ela é relativamente pequena, mas é uma das maiores glândulas já que pode chegar a até 25 gramas em um adulto.

Muito cansaço ou ansiedade constante podem indicar distúrbio na tireoide?

Sim, a tireoide dita o ritmo do nosso organismo. Ela atua diretamente no crescimento e desenvolvimento de crianças e de adolescentes, na regulação dos ciclos menstruais, na fertilidade, no peso, na memória, na concentração, no humor, no controle emocional e até nos batimentos cardíacos.

Quando a tireoide não funciona corretamente, pode liberar hormônios em quantidade insuficiente (hipotireoidismo) ou em excesso (hipertiroidismo).

Nos dois casos, o volume da glândula aumenta o que é conhecido como bócio. Esses problemas podem ocorrer em qualquer etapa da vida e são de simples diagnóstico e confirmados com um exame de sangue.

Exames de sangue e de imagem para diagnosticar doenças na tireoide

Consulte um endocrinologista para que ele possa identificar doenças que acometem a tireoide por meio de exames que irão avaliar o tamanho da glândula, a presença de tumores e funcionamento da tireoide.

Na Genoa/LPCM, você pode realizar os seguintes exames que estão diretamente ligados com o funcionamento da tireoide:

1. Dosagens de hormônios da tireoide

A dosagem de hormônios da tireoide através de exame de sangue permite que o médico avalie o funcionamento da glândula, sendo possível verificar se a pessoa possui alterações sugestivas de hipo ou hipertireoidismo, por exemplo. Os principais exames hormonais são:

  • TSH
  • T3
  • T4
  • T3 livre
  • T4 livre

 

Após identificar a alteração do funcionamento da tireoide, o médico endocrinologista irá avaliar a necessidade de solicitar outros exames que ajudem a diagnosticar a causa dessas alterações, como ultrassom ou dosagem de anticorpos, por exemplo.

2. Dosagens de anticorpos da tireoide

Além das dosagens hormonais, o exame de sangue também pode ser feito para dosar anticorpos contra a tireoide, que podem ser produzidos pelo organismo em algumas doenças auto-imunes, como tireoidite de Hashimoto ou doença de Graves, por exemplo. Os principais são:

  • Anti TPO (Anticorpos Antiperoxidase): presente na grande maioria dos casos de tireoidite de Hashimoto, doença que provoca a lesão das células e perda gradual da função da tireoide;
  • Anticorpos Antitireoglobulina (Anti-Tg): está presente em muitos casos de tireoidite de Hashimoto, entretanto, também é encontrado em pessoas sem qualquer alteração da tireoide, por isso, nem sempre a sua detecção indica que se desenvolverá a doença;
  • TRAb (Anticorpos Anti-receptores de TSH): pode estar presente nos casos de hipertireoidismo, principalmente causados pela doença de Graves*.

*Doença de Graves: doença autoimune da tireoide que leva ao surgimento de sintomas como nervosismo, perda de peso mesmo com o apetite aumentado, olhos salientes ou palpitações cardíacas, por exemplo. Ela atinge mais mulheres do que homens, principalmente entre os 20 e os 50 anos, apesar de poder surgir em qualquer idade.

Os auto-anticorpos da tireoide só devem ser solicitados pelos médicos endocrinologistas ou clínicos gerais nos casos em que os hormônios tireoidianos estejam alterados, ou na suspeita de doenças da tireoide, como forma de ajudar a esclarecer a causa.

3. Ultrassonografia da tireoide

A ultrassonografia da tireoide é feita para avaliar o tamanho da glândula e a presença de alterações como cistos, tumores, bócio ou nódulos.

Embora não possa dizer se uma lesão é cancerosa, a ultrassonografia é muito útil para detectar as características da tireoide e para guiar a punção de nódulos ou cistos para auxiliar no diagnóstico.

4. Biópsia e Punção Aspirativa por Agulha Fina (PAAF) da tireoide

A biópsia* ou punção são feitas para identificar se o nódulo ou cisto na tireoide é benigno ou maligno.

*Saiba como é feita a biópsia

Durante o exame, o médico introduz uma agulha fina em direção ao nódulo e retira uma pequena quantidade do tecido ou líquido que forma este nódulo (PAAF), para que esta amostra seja avaliada em laboratório.

Esse procedimento pode doer ou causar desconforto porque não é feito com anestesia e o médico pode movimentar a agulha durante o exame para conseguir retirar amostras de várias partes do nódulo ou para aspirar uma maior quantidade de líquido.

Porém, o exame é rápido e dura cerca de 10 minutos. Na sequência, a pessoa deve permanecer com um curativo no local por algumas horas.

Quando é preciso fazer exames da tireoide?

Os exames da tireoide são indicados para pessoas acima dos 35 anos ou antes caso haja sintomas ou histórico familiar de alterações na tireoide, mulheres grávidas ou que desejam engravidar e para pessoas que notaram alterações durante autoexame ou exame médico da tireoide.

Além disso, os exames também são indicados após tratamento com radiação para câncer de pescoço ou cabeça e durante o tratamento com remédios, como Lítio, Amiodarona ou Citocinas, por exemplo, que podem interferir no funcionamento da tireoide.

Viva bem! Lembre-se: a tireoide dita o ritmo do nosso organismo. Cuide da sua tireoide. Consulte o seu médico.

Para mais informações e agendamentos: 11 3135-6880 ou 9 6318-8021.